Escapar das garras do leão e… cair na boca do crocodilo

O Maxaquene conseguiu escapar de uma morte quase que anunciada, mas não teve a mesma sorte na represa de Hanhane, porque lá não há misericórdia. Telinho, ainda longe dos 25 golos que prometera, tratou de alcançar o 17.º e alimentou o crocodilo.

Ibraimo Assamo/Domingos Elias