Clubes vão penalizar os jogadores que jogam em torneios de bairro

Doravante, ao que tudo indica, nada será como antes. Apesar de estar visível a existência de uma política clara nos clubes sobre a situação dos atletas que no defeso futebolístico se exibem em terrenos desnivelados, propensos a lesões, jogando com indivíduos sem qualquer responsabilidade no âmbito desportivo, há sinais de inquietação por parte dos dirigentes desportivos, que tomam a consciência de que a monitorização dos atletas não deve ser apenas enquanto durar a actividade.

Na edição anterior do desafio, fizemos referência à sujeição à promiscuidade por parte alguns jogadores do Moçambola, nossa mais prestigiada competição futebolística do país, a situações de risco nas tais competições organizadas por indivíduos supostamente ignorantes no que concerne aos princípios de alta competição e do desenvolvimento da actividade desportiva ao mais alto nível, envolvendo atletas de alto rendimento em certames (como forma de prestigiá-los até com alguns atletas da Selecção Nacional), que deviam ser dirimidos por populares, entusiastas e até antigos praticantes.

Esse trabalho começa a ganhar um grande impacto e até abre portas a uma maior atenção sobre estas, entre outras situações de risco para os atletas, no seio dos dirigentes que nunca mais ficarão alheios a irresponsabilidades dos seus atletas, que muitas vezes se apresentam diminuídos fisicamente no início da temporada, prejudicando, em certa medida, o normal desenvolvimento do trabalho programado tendo em conta as suas pretensões.