Pandemónio na trincheira do Matchedje

isto porque um grupo de militares afecto ao Matchedje barrou a entrada dos dois conjuntos no seu campo, casa emprestada da primeira equipa, incluindo o delegado, a equipa de arbitragem e a imprensa.

Durante a semana já havia sinais de que a última jornada do Campeonato Nacional da Divisão de Honra reservava muitos episódios, desde logo o facto de os representantes da cidade de Maputo neste certame terem ameaçado não jogar em repúdio à medida tomada pela Federação Moçambicana de Futebol (FMF) de remarcar a partida entre a SHM de Vilankulo frente à Associação Desportiva de Chókwè, referente à 21.ª e penúltima jornada, a qual não teve lugar no devido dia e hora por mera falta de comparência da segunda equipa.

Ora, como que a solidarizar-se com os seus filiados, a Associação de Futebol da Cidade de Maputo anuiu a decisão dos clubes, tendo como base o facto de a FMF, na sua óptica, ter transgredido o regulamento da prova. O beneplácito da AFCM deu mais força aos clubes da cidade de Maputo, razão pela qual algumas, com particular enfoque para o Matchedje, não se deslocaram ao terreno dos seus adversários.

Ibraimo Assamo