Confio nas minhas capacidades e qualidades

No final da temporada transacta, o avançado dos “Mambas” Reginaldo Faite acabou por ficar fora do plantel do Nacional da Madeira, quando ainda tinha um vínculo contratual até 2017, segundo ele, por razões que desconhece. Por isso, mais tarde foi para o Santa Clara, da divisão secundária, para relançar a sua carreira.

Reginaldo não quer mencionar os nomes das pessoas que estiveram por detrás da sua rescisão com o Nacional, mas deixa ficar o seguinte: “Não vou respeitar quem não me respeita. A minha principal preocupação, neste momento, é trabalhar para ter oportunidade de jogar”.

O craque, que começou a carreira em Quelimane, considera que em Ponta Delgada, onde chegou depois de a época ter iniciado, vai viver bons momentos e poder regressar à ribalta. 

 

Acompanha a entrevista na íntegra no jornal impresso.