Siga-nos:

Opinião

Basquetebol

Notícias

Editorial

Retrovisor

Nunca pretendi ser consensual

César Langa

Fotos de Luís Muianga

Contra as críticas de algum sector, a direcção da Federação Moçambicana de Futebol acabou contratando Abel Xavier, que também sabe do consenso que não reúne nos meandros da bola indígena, mas que minimiza o facto, pois diz ser assim em todos os sectores, mesmo ao nível da sociedade.

É sobejamente sabido que a vinda de Abel Xavier para Moçambique, na condição de Seleccionador Nacional, não acolheu consenso no meio desportivo do país, por razões que já nem cabem neste espaço. Na conversa que tivemos nesta longa-metragem, o luso moçambicano, longe de si se deixar abalar, manifesta as suas convicções e prontidão para lidar neste meio, pois, segundo ele, o envolvimento de emoções, opiniões, críticas e especulações faz parte do mundo do futebol e da sociedade. Por isso mesmo, julga normal.

Já no terreno, vive ou sente, na pele, esta onda de contestação à sua figura, como treinador dos Mambas?   

–Repare. Eu respeito as opiniões. Acho que é normal que haja crítica, dúvida, incerteza, porque vivemos num estado democrático, onde as pessoas têm a sua própria opinião e devem expressa-la da forma como elas entendem ser mais adequada. Eu encaro isso com muita naturalidade. Obviamente que tenho que me concentrar naquilo que, para mim, é o essencial. Mas devo dizer que tenho tido muito reconhecimento e muito apreço por parte dos moçambicanos, que me desejam boa sorte, força e que também me alertam para outras coisas, porque, no fundo, estamos a falar de quê? Não estamos a falar do país? Estamos a falar de divisões, aonde o próprio contexto de selecção é de união? União de personalidades, união de etnias, de religiões… O balneário de futebol é integração! É aceitação! Eu acho que, de alguma forma, o que se passa no contexto do futebol, que é um mundo muito próprio, também poderia ser exemplo para a sociedade.

Acompanhe a entrevista na íntegra na edição impressa. 

0
0
0
s2sdefault
2final.gif

Classificação do Moçambola 2018

Equipas
J V E D GM GS P
1 F. de Maputo 5 4 0 1 9 5 12
2 F. da Beira 6 2 4 0 10 4 10
3 U.D. Songo 4 3 1 0 7 1 10
4 Liga Desportiva 5 3 1 1 6 4 10
5 F. de Nampula 5 2 2 1 7 4 8
6 Costa do Sol 5 2 2 1 5 2 8
7 Clube de Chibuto 5 2 2 1 7 5 8
8 Textáfrica de Chimoio 5 2 2 1 7 7 8
9 F. de Nacala 6 2 1 3 5 7 7
10 1º De Maio 6 2 1 3 6 9 7
11 Incomáti de Xinavane 5 1 2 2 2 3 5
12 ENH de Vilankulo 6 1 2 3 3 8 5
13 Sporting de Nampula 6 1 2 3 4 12 5
14 D. Nacala 5 1 1 3 3 4 4
15 Maxaquene 5 1 1 3 5 7 4
16 UP de Manica 5 0 2 3 2 6 2
Votacao
BNIfinal.gif
1final.gif

Prémio Desafio

web_banner_1.gif

Sondagem

O que acha do site?

Quem está online?

Temos 327 visitantes e sem membros em linha

Banca de Jornais

Sociedade do Noticias
  • EconomiaEconomia
  • CulturaCultura
  • DomingoDomingo
  • DesafioDesafio
  • NotíciasNoticias

Conselho de Administração

Bento Baloi Presidente

Rogério Sitoe Administrador

Cezerilo Matuce Administrador