Connect with us

MOÇAMBOLA

NULO POR CULPA PRÓPRIA

Foto de António Gombe

NULO POR CULPA PRÓPRIA

O Ferroviário da Beira empatou ontem em pleno “Caldeirão” do Chiveve sem abertura de contagem frente a Liga Desportiva de Maputo (LDM), num embate em que os pontas-de-lances da turma da casa foram perdulários no momento da finalização.  

Na etapa inicial, entrou melhor a formação da casa, procurando chegar ao golo o mais rápido possível, mas os seus atacantes não tinham pontaria suficiente para violar a baliza contrária. 

A primeira chance de golo foi da LDM, quando Comissário perdeu a bola à entrada da grande área e um dos defensores rematou ao lado da baliza defendida por Milagre. 

Enquanto isso, os forasteiros faziam o seu jogo sem pressa e ao mínimo detalhe, esperando o momento certo para chegar ao golo o que não foi possível devido as poucas oportunidades criadas pelos seus médios ofensivos. 

Nesse momento, a formação da casa mostrava mais maturidade, criando belas jogadas de fazer inveja, mas Ling e Jafete continuavam a não ter pontaria suficiente para enganar Victor, que fez grandes defesas.

Aliás, foi por tamanhas defesas de Victor que a Liga não sofreu nenhum golo. 

Um dos lances mais claros de golo foi criado por Abass, aos 33 minutos, quando recebeu a bola no bico da grande área e rematou forte para mais uma defesa enorme de Victor. 

Outras duas ocasiões foram falhadas por Jafete que não conseguiu violar a baliza contrária. 

Com este resultado e sinal mais para a turma da casa foram ao respectivo descanso. 

No reatamento, entrou melhor a LDM, trocando a bola de pé para pé, mas foi sol de pouca dura, porque a turma “locomotiva” equilibrou o jogo, falhando várias  vezes no passe. 

Daí em diante só deu Ferroviário, que encurralou o seu adversário, mas Victor fazia de tudo para proteger a sua baliza. 

Quando transcorria o minuto 69, Scaba, recém-entrado  para o lugar de Shelton, fez uma bela combinação com Jafete, esse que fez um centro milimétrico, mas João não chegou à bola e pediu grande penalidade, alegando uma falta pelas costas, mas o árbitro assim não entendeu. 

Depois foi a vez de Ibrahimo fazer um centro para a pequena área. A bola foi directo aos pés de Maré, que rematou contra o corpo do guarda-redes Victor. Na recarga, Jafete com a baliza completamente desguarnecida, rematou para as “nuvens”. 

Enquanto isso, Milagre não tinha nenhuma preocupação, visto que os atacantes da Liga contribuíram para defender o resultado. Mesmo com várias mexidas efectuadas pelo banco técnico do Ferroviário, o resultado manteve-se. 

Quanto à equipa de arbitragem, esta esteve bem e não influenciou no resultado.

Leia mais em…https://flipbook.snoticias.app.co.mz/login.php

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

More in MOÇAMBOLA