SERÁ A BÊNÇÃO QUE FALTAVA AO ENZ?

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

O Estádio Nacional do Zimpeto (ENZ), o único, infelizmente, no país que reúne as ríspidas exigências da FIFA, tem sido nos últimos anos a casa das selecções nacionais, sobretudo da equipa A. Ora, esse papel pertenceu durante os tempos idos – esperamos que as direcções locomotivas da capital repensem numa nova fórmula de trazer aos padrões exigidos pelo organismo de tutela do futebol mundial – ao mítico Estádio da Machava, palco dos momentos inolvidáveis, saudosistas e memoráveis cultura e desportivamente.

Fases distintas, factos quase semelhantes é que há 31 anos Machava transbordou para receber a missa papal de Moçambique independente, isto em Setembro 1988, quando João Paulo II escala um país em renascimento e em via de se tornar democrático. Foi a plenitude e bênção divina para o mítico Infulene, que em termos desportivos esbanjou lágrimas de emoção aos adeptos. Aqui, parafraseando Boavida Funjua (título póstumo) num dos seus inúmeros e requintados artigos de opinião cujo título “Saudades Que O Tempo Levou”, lembrava os grandes momentos futebolísticos da Selecção Nacional que a catedral do nosso futebol e de eventos históricos acolheu, destacando, porém, em termos de enchentes e simbolismo, Moçambique vs Zâmbia; Moçambique vs Camarões, Moçambique vs Angola, Moçambique vs Guiné-Conacry e Moçambique vs Malawi, este último que qualificou o país com aquele segundo golo de Tico- -Tico, para a sua segunda presença numa fase final de um Campeonato Africano das Nações. É tão cristalino que Machava viu também sucumbir gigantes africanos, como a Nigéria, Senegal, Burquina Faso, Tunísia ou Cabo Verde. Com oito anos de existência, o ENZ não tem sido o inferno que se esperava para os adversários da equipa de todos nós, um papel que o Estádio da Machava com o tempo foi adquirindo, a ponto de ser temível para qualquer potência africana que nos cruzasse o caminho. O ENZ penaliza-nos nos momentos capitais, foi assim no ano passado contra Namíbia, Guiné-Bissau, sem falar dos dois jogos com Madagáscar para as eliminatórias da CHAN.

GILBERTO GUIBUNDA
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Publicidade
SN-GRÁFICA

Moçambola 2019

Pos Equipe J V E D GC GM Pts DP
1. C. do Sol 30 20 6 4 25 56 64 +31
2. UD Songo 30 19 3 8 29 47 59 +18
3. Fer. Maputo 30 13 9 8 22 34 43 +12
4. Fer. Beira 30 12 9 9 25 34 43 +9
5. Fer. Nacala 30 12 5 13 31 28 40 -3
6. ENH 30 10 11 9 30 29 37 -1
7. LD Maputo 30 11 7 12 36 30 37 -6
8. Textafrica 30 11 7 12 30 22 37 -8
9. Des. Maputo 30 10 10 10 29 35 36 +6
10. Incomáti 30 10 10 10 31 29 36 -2
LD Maputo 5 : 4 Des. Maputo
Têx. Púnguè 1 : 1 Nacala
B. de Pemba 1 : 2 ENH
Chibuto 1 : 0 UD Songo
Fer. Nacala 1 : 0 Fer. Beira
Fer. Nampula 2 : 1 C. do Sol
Maxaquene 1 : 0 Fer. Maputo
Textafrica 1 : 1 Incomáti

Director: Almiro Santos
Chefes da Redacção:
Reginaldo Cumbana e Gil Carvalho

Desafio é um Jornal desportivo, produto da Sociedade do Notícias.

O Jornal esta disponível em formato físico impresso, o mesmo pode ser lido em formato electrónico.

Play Store

AppStore

SNLogo2

Propriedade da Sociedade do
Notícias, SARL
Direcção, Redacção e Oficinas
Rua Joe Slovo, 55 • Cx.Postal 327
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
( Tel's: 21320119 / 21320120 )
Script:
Topo
Baixo